Registros de carros brasileiros caem em setembro

A diferença de preços é ainda mais acentuada pela diferença tecnológica. Na Europa, a General Motors vende o Corsa de duas gerações mais jovem do que o modelo vendido no Brasil, com o número de melhorias de segurança como ABS, controle de velocidade eletrônico, controle de tração, controle de estabilidade, luzes automáticas de correção de tempo, airbag de duas fases para motorista e passageiro, antifurto eletrônico, luzes de freio adaptativas (frenagem em caso de emergência), direção hidráulica, janelas elétricas, etc. E o preço de um Corsa na Itália é de 12,401 euros, equivalente a R $ 38.690.

Atraso tecnológico

Uma versão mais completa do modelo no Brasil é 1.8 Super Sport, com valor de $ 43.546. Entre os itens do modelo da série estão o sistema de direção hidráulica, o alarme anti-roubo, a luz de nevoeiro da traseira acoplada à lanterna, o pedal ABAIXO em caso de impacto, ar condicionado, janelas elétricas e fechaduras.

O mesmo é observado com produtos de outros fabricantes. O Fiat Punto com airbags, antifurto eletrônico, ABS, controle de tração, controle de estabilidade, etc., fora de 11.901 euros, ou US $ 37.130. No mercado brasileiro, a versão de entrada do Punto 1.4 custa US $ 38.368.

detran pr

Mas o Ford Fiesta, uma geração mais nova, custa 11.151 euros, equivalente a R $ 34.790 e vem com ABS, airbags frontais, lado e pernas do motorista, antifurto eletrônico, direção elétrica, um dispositivo para prevenir o fogo, entre outros itens. Uma versão mais completa do Fiesta no Brasil – com motor 1.6, direção hidráulica, airbag, travões ABS, entre outros itens – deixa US $ 45.685.

“O problema é realmente que o crescimento do mercado interno e outros fatores como a volatilidade da troca e os aspectos” normativos e políticos “, se afastaram dos novos mercados fora do Brasil”, diz o consultor e parceiro do mercado Creating Value Consulting , Corrado Capellanía.

“Hoje, muito poucos são aqueles que produzem plataformas globais. Nossos produtos não são aqueles que foram em 2001 ou 2002, quando exportamos para a Europa ou os Estados Unidos e competíamos com fábricas na Europa Oriental e no México”, diz Capellanía.

Novos registros de veículos a motor

Em setembro, as inscrições de veículos no Paraná cresceram 24,54% em relação a setembro de 2016. No total, 199.211 carros foram registrados e 2.161.525 carros novos foram vendidos nos últimos doze meses, 1,77% a mais do que no ano anterior.

A repartição dos números de vendas de automóveis para o mês de setembro é:

Veículos comerciais vendidos: 31,190, 3,03% a mais que em setembro de 2016.
Registros de carros de passageiros: 168.021, o que representa um valor de 29,56% a mais que em setembro de 2016.
O Brasil é um dos dez países onde o maior número de carros foi registrado no último ano, no ranking de 36 países com base no número de registros de veículos.

Uma variável muito útil para estimar o nível de riqueza econômica de que gozam os residentes brasileiros, em relação aos outros países do ranking, é o número de veículos vendidos ou registrados por mil residentes no último ano. Com vendas anuais de 10,49 carros por 1.000 habitantes, 0,97 deles no último mês, no Brasil, ocupam um dos lugares finais do ranking, o que significa que sua população está entre as que estão na mesa com o menor poder de gastos.

Como pode ser visto, o número de inscrições por mil residentes cresceu no último ano. O aumento desta figura é positivo, pois geralmente indica uma maior confiança pública na economia do país. https://www.facebook.com/carrosd0brasil/posts/2008701726026195

As mudanças nos números de registro de veículos brasileiros são mostradas nas tabelas abaixo. Como vários estudos indicam, essas mudanças estão muito relacionadas às mudanças no PIB e, portanto, à situação econômica de um país. As vendas diminuíram desde 2007, já que foram registradas 2.301.852 ano, assim como o número de inscrições por mil residentes, que no ano era 12.29.